segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Vacina contra gripe

Hoje tomamos a vacina contra a gripe suína.
Tudo com cara de Canadá, tudo muito bem intencionado, muita gente para ajudar, tudo muito calmo, ninguem furando fila, mas nem sempre tão simples.
Primeiro entramos numa pré-fila, fora do prédio ainda. Esperamos um pouco (uma meia hora) até que abriram as portas do prédio e colocaram todo mundo para dentro do prédio. Lá dentro outra fila, todo mundo sentado em cadeirinhas colado nas janelas do prédio. E com a televisão entrevistando os funcionários.
Nesta fila, uma enfermeira andava entre as pessoas para checar se elas eram elegíveis para a vacina ou não.
Estava bem claro, que só tomariam vacina as crianças com menos de 5 anos (ou melhor quem tem até 4 anos e 11 meses e 29 dias), profissionais de saúde e idosos. Mas a enfermeira nos falou que o critério não é bem esse, e sim a todos da casa em que tenham crianças com menos de 5 anos. É lógico que não discutimos, mas o problema como eu conhecia somente o critério que está sendo veiculado publicamente, não levamos o Du (achamos melhor deixa-lo na escola).
Descobrimos também naquele momento que aquelas eram somente as filas para marcar horário para sermos vacinados. Saímos então com 4 senhas para tomar vacina duas horas depois.
Quando discutimos o que iamos fazer, um segurança se aproximou e me disse o seguinte, traz o menino e troca com voce. Excelente idéia, já que as senhas não são nominais, e foi isso que fizemos. Lógico que o casal altruísta brigou para ver quem ia ceder sua vacina para o Du, o fato da Lena estar se expondo na escola de ingles já a balançou, mas a minha última frase, que mãe é mais importante que pai para as crianças decidiu, rs, rs, rs.
Fomos então pegar o Eduardo na escola e retornamos para a fila, agora sim a de tomar a vacina. Lá tentei dar uma de esperto e tentar obter uma senha para mim, mas quase pus tudo a perder, chamaram uma coordenadora que só conhecia o critério publicado.
Bom, mudamos de estratégia, pensei que lá dentro eu iria encontrar a enfermeira que queria nos vacinar. Logicamente pela lei de Murphy, quem estava recebendo as pessoas? A coordenadora que não queria me vacinar, rs.
Entramos então na sala, e por ordem, a Lena, a Lu, a Le e o Du tomaram a vacina. Então numa última tentativa perguntei para a enfermeira que deu a vacina no pessoal, o que eu deveria fazer. Ela prontamente chamou uma moça, que parecia ser superior dela, e minutos depois "arrumaram" uma ficha para mim e eu pude tomar a vacina. O critério válido é realmente vacinar todos na família quando tem crianças pequenas. E isso faz muito sentido. Se eu não tivesse tomado a vacina eu estaria me expondo muito. As crianças, que ficam muito expostas ao vírus, não ficariam mais doentes mas continuariam transmitindo. Para mim, no caso, rs.
Bom, o importante é que todos nós tomamos vacina. E vai um conselho para todos. Se voce tem filho com menos de 5 anos, vá todo mundo para a fila, que com certeza todo mundo será vacinado. Pai, mãe, filho moço,cachorro (não cachorro não). Vale tudo.

2 comentários:

  1. Só falta a gente comentar que a familia inteira está com dor no braço. Quer dizer: quase todo mundo porque a Luísa estava reclamando que estava doendo (ouviu a helena reclamar) e quando eu perguntei onde doia ela disse: aqui ó, na péina!!! E mostrou o joelho.
    bj

    ResponderExcluir
  2. Ai meu Deus.... na "péina", dá pra ela uma remedinho (água com açúcar) você vai ver que logo passa... Beijos
    Silvia

    ResponderExcluir