sábado, 23 de maio de 2009

Conselho para quem está chegando

Bom, existe aquele ditado que diz que se conselho fosse bom eu não estaria dando, eu estaria vendendo.
E afinal o que eu vou escrever nem se trata de um conselho, porque, de verdade, eu não sei qual é a melhor solução.
Mas a pergunta é essa: É melhor ir primeiro para um hotel quando chegar ou já alugar algo do Brasil?
O que eu já descobri por aqui, e isso posso falar com certeza, que um endereço no Canadá é imprescindível, quanto mais cedo melhor. Porque para fazer qualquer documento te pedem o endereço, na carteira de motorista por exemplo ele vem na própria carteira. E logicamente, é para este endereço que eles vão mandar o documento pelo correio. E eles não aceitam endereço de hotel!!! Então quanto mais tempo ficarmos em um hotel, mais tempo vamos demorar para pedir o permanent resident card, o sin, o health care, a carteira de motorista. É um atraso de vida e tanto.
Outra coisa importante para considerar é que há preconceito contra o imigrante na hora de alugar. Nem sei se o termo preconceito é cabível neste caso, mas para se alugar qualquer coisa o locador quer saber seu passado de crédito (o que obviamente não temos) e principalmente a famosa carta do empregador, que na maioria dos casos também não temos. Então tenho a sensação que mais somos escolhidos pela casa do que o contrário. Por isso, acho importante contatar um realtor o mais cedo possível, e abrir bem o jogo para ele, para que ele e voce não percam tempo visitando (como fomos) casas em que a chance de conseguirmos alugar era zero.
Outra dificuldade é que o pessoal que aluga quer contrato de um ano. Se sairmos antes tem que chegar a um acordo com o locatário para repassar o aluguel para um terceiro. Complicado. Mas se acabamos de chegar, se não podemos escolher direito a residencia, se nem temos idéia da qualidade da escola do bairro, nem aonde vamos trabalhar, como se comprometer dessa forma? E principalmente porque aluguel é o item de maior custo na vida de uma pessoa aqui no Canadá.
Por fim, vai o meu conselho, alugem casa o mais rapidamente possível, escolham a melhor possibilidade, mesmo que não seja a ideal, porque as chances são poucas e por fim tentem fugir do aluguel de 1 ano, principalmente no início.

4 comentários:

  1. Sergio,
    Realmente este lance do aluguel eh muito importante. A gente pelo ja tinha um endereco de um amigo para colocar, se fosse o caso. E acabou que a gente alugou o basement deles "provisioriamente" ate a gente arranjar um emprego. Mas ai quando o emprego veio, nao eh em Vancouver...
    Ja nao vejo a hora de alugar um lugar melhor tambem. Ja passou da hora.
    Um abraco.
    P.S.: Eu tambem nao sirvo muito para preencher questionario de raca (meio japoneis, um oitavo alemao, um oitavo portugues, e o outro quarto deve ser brasileiro)

    ResponderExcluir
  2. Pode por que é branco. Não tenho dúvidas quanto a isso (risos....). Afinal nenhum não branco usa filtro solar 500. Se você botar outra coisa vão achar que está mentindo para conseguir benefícios. E os filhos são branquinhos também
    ass: sua irmã um pouco menos branca do que você (filtro solar 499)

    ResponderExcluir
  3. Sérgio, quanto ao comentário que vc deixou pra mim no blog da Marilena: Fico me imaginando na situação que vc descreveu, quando eu me desacostumar a mudar de rua com medo dos outros acho que nunca mais vou querer voltar(o pior de tudo é o medo de crianças. Quando imaginei que poderia ter medo de crianças???? Mas a verdade é que infelizmente eu tenho uma mistura enorme de pena e medo, que agora se transformou em desesperança). Mas tb não sei se um dia vou virar realmente canadense, no entanto, meus filhos sim poderão se sentir em casa na Canadá. É essa minha grande esperança, que meus filhos sejam felizes e possam ajudar de alguma forma aos outros,
    Marcia

    ResponderExcluir
  4. Ah Sérgio, emprego e carro são realmente essenciais. Lógico que em níveis diferentes mas eu entendo, não dá para viver tranquilo sem emprego e carro é tudo de bom. Espero que cheguem logo pra vcs e que o otimismo seja contagiante,
    Marcia

    ResponderExcluir