sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Pedir demissão

Talvez uma das coisas mais difíceis para se fazer na vida seja pedir demissão. Com certeza, pior do que ser demitido. Não dá para separar completamente relacionamentos profissionais dos pessoais. Por mais que isso tenha que ser importante, é impossível não deixar amigos na empresa em que se está saindo, incluindo o chefe. E aí começa aquela desgastante fase da contra-proposta, qual é o problema? Salário? Os colegas?

Mas nesse caso foi um pouco diferente, porque o motivo da saída é tão impactante que inibe até o mais experimentado chefe. Não se trata de uma simples mudança de emprego, trata-se da mudança de toda uma vida (ou várias no nosso caso). Não posso reclamar das reações do meu chefe e do chefe do meu chefe, estão fazendo aquilo que eu sonhava que eles fizessem: primeiro apoio para eu ser “transferido” para a filial do Canadá, que com certeza é o melhor dos cenários que temos, e depois deixar a porta aberta para mim em um possível retorno, se as coisas derem errado por lá.

Só que essa “transferência’ depende muito pouco deles. É lógico que se eles não me derem boas referências tudo está acabado, mas depende principalmente da carga de trabalho lá no Canadá (afinal estamos em crise ou não, estamos, mas se eu entro na página de carreiras no site da minha empresa do Canadá foram abertas 22 vagas somente em janeiro!!!, 2 ontem) e de como eu vou conseguir acionar os meus “pistolões” internacionais, risos.

2 comentários:

  1. Com certeza você fez um bom trabalho e será lembrado por isso. Parabéns pelos anos de dedicação ao trabalho no Brasil e bons anos virão no Canadá.
    Abraços, Eliane.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei muito feliz com a visita de vocês!

    Espero que voltem e possam ler mais sobre esse assunto e outros no meu blog.

    Um grande abraço.

    Sheila

    ResponderExcluir